Nosso Ano

Nosso Ano

Total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de julho de 2011

O segredo de Moisés

“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.” Provérbios 22:6

A cada fase do ciclo da vida tem uma importância fundamental, mas sem dúvida, a infância é o período que tem mais peso na formação do ser humano. O nosso trabalho com crianças, como educadores cristãos, consiste em conduzi-los com segurança por uma trilha perigosa rumo a uma vida saudável de alegria, vida em comunidade, convivência familiar em amor, e um relacionamento pessoal com Deus.

Em termos bíblicos, podemos dizer que a nossa missão é conduzir a criança à “Terra Prometida”. As crianças são vulneráveis à maldade, violência, negligência e maus-tratos e outros males que infelizmente as rodeiam. O caminho para a terra da promessa pode ser um deserto com todas as suas ameaças. Moisés, o homem usado por Deus para conduzir o povo do Egito à Palestina, enfrentou desafio semelhante. Durante quarenta anos, ele teve de lidar com a falta de comida, falta de água, rebeliões internas, ataques de inimigos, epidemias, terremotos, para mencionar apenas alguns dos inúmeros perigos da travessia.

Numa jornada como essa, é essencial que se levem suprimentos, ferramentas e munições. Se imaginarmos numa trilha, conduzindo as crianças com as quais trabalhamos, o conteúdo das nossas mochilas seriam os traços de caráter que fazem de nós ser do jeito que somos, que orientam o nosso comportamento, servindo de uma referência espiritual das crianças. Um grande privilégio e ao mesmo tempo uma grande responsabilidade.

"Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é das pessoas que são como essas crianças" Mateus 19:14 

Ao conduzirmos uma criança, não devemos esquecer de que é necessário caminharmos juntos com ela, pois quem conduz, não vai na frente, mas caminha junto. E além de caminhar junto, precisamos permitir que ela nos conduza para o reino de Deus, afinal, Jesus nos disse que se não nos tornássemos como crianças, de maneira alguma herdaria o seu reino de paz e de justiça.

A criança tem a capacidade de nos conduzir por caminhos que um dia nós já renunciamos, nos trazendo oportunidade de sermos rejuvenescidos, renovados no Senhor. Precisamos aprender com as crianças, imitando-a na sua capacidade de sorrir em meio à adversidade, na facilidade de perdoar, na disposição para amar com sinceridade e transparência. Enquanto levamos a criança à “Terra Prometida”, somos de certa forma levados por elas também.

O que temos aprendido com as crianças? Será que temos visto Deus trabalhar em nós, moldando o nosso caráter, por meio delas?

O Moisés precisou praticar este princípio com o povo que ele conduzia na longa caminhada rumo à terra que manava leite e mel. O Moisés do final da jornada é muito mais sábio do que aquele que a iniciou, se tornou um homem diferente daquele hebreu criado como príncipe. Mesmo com o espírito de liderança, agora é também um homem cauteloso e dependente de Deus. Continua desejoso de ver a justiça, mas agora se submete à hora certa e à maneira certa de Deus.

Qual é o segredo? É examinar tudo sob a luz divina. É rever as experiências e aprender a lição correta. Aquele que não sabia falar, agora fala com eloqüência. O segredo está na intermediação entre Deus e o povo. A sua interação constante e dinâmica, mostra a sua sensibilidade para com as necessidades e os anseios das pessoas. Ele aprendeu muito com o seu povo. No final de sua vida, carregava consigo a vida de cada membro de Israel.

Queremos agradecer de coração, por nos confiar este abençoado ministério, reconhecendo que Deus na sua misericórdia nos colocou em contato com as crianças da ICP Curitiba, para sermos um apoio às famílias nessa linda fase da vida, participando da sua formação espiritual e também para que fôssemos conduzidos por essas mãos miúdas, a esta terra onde habita a paz, a justiça e o amor.

Lee, S.W.

Adaptado dos textos: Caráter: segredo de quem sabe conduzir a criança e Outro segredo de Moisés. Revista Mãos Dadas. Julho/2010, página 6 a 8.

Nenhum comentário:

Postar um comentário